Resenha: Amor em Jogo, de Anaté Merger

“O tempo para e a troca de olhares permanece, tornando as palavras desnecessárias. Apenas o barulho das ondas do mar se quebrando contra os rochedos, dos talheres que se encontram com a porcelana de vez em quando e de dois corações que batem acelerados indicam que há vida no local.”

Oi, gente!

Cá estou eu pra contar um pouco do que achei desse livro surpreendente! “Amor em Jogo” (2014, Ases da Literatura, 378 páginas) é o segundo romance da autora Anaté Merger que leio!

amor em jogo anate merger capa 1.jpg

Ele conta a história da Alix que, aos vinte anos, perdeu os pais, a fazenda onde morava no interior da Provence e toda a esperança de ter um futuro. Sem saída e rezando por um milagre, ele surge na forma de um emprego que parece ser extraordinário: durante três meses, ela vai trabalhar em uma mansão com vista para a baía de Saint-Tropez por um salário milionário.

O proprietário é Clif Forestier, um astro do cinema excepcionalmente belo, extremamente rico e cinicamente sórdido. O oposto de Nathan, um jovem comerciante sensível e cativante, por quem ela começava a sentir algo especial até que o encontro explosivo com o ator desperta em Alix sensações que ela desconhecia.

O verão começa e, aos poucos, ela percebe que é apenas uma carta do baralho no qual luxo, mentiras e sexo fazem parte de um contrato que coloca muito mais do que a sua dignidade em jogo: se quiser descobrir e ganhar quem realmente ama, Alix vai precisar enfrentar os seus demônios e apostar alto.

“Mãos e lábios se encontram delicadamente, perfumes se misturam, os corpos se deixam guiar pelo desejo das almas e a noite dura o tempo necessário para que o momento se torne eterno.”

O que achei:

Apesar de amar um romance, comecei a leitura de forma despretensiosa. Não havia lido nenhuma opinião sobre o livro além da sinopse e queria me surpreender. E não é que foi assim que aconteceu?

Alix, com 20 anos, já havia perdido o pai. No início do livro, entramos direto em um mar de sofrimento da protagonista: presenciamos o enterro da mãe dela. Sem os pais, sem casa, sem dinheiro, sem chão, ela está desesperada e não tem pra onde ir. Então, no velório da mãe de Alix, uma figura aparece pra ajudá-la. É Manon, ou melhor, Trixie, amiga de infância da protagonista que, ao saber da situação, decide ajudá-la a começar uma vida nova. Trixie é modelo (por isso trocou de nome) e tem uma situação financeira mais que estável. Ela também conta com a ajuda de sua agente Zoé, e as duas partem com Alix para o apartamento de Trixie, em Saint-Tropez, bem longe do interior e da vida de fazendeira que a moça levava.

Em seu primeiro dia na cidade, ao passear na feira, Alix conhece um jovem vendedor de geleia chamado Nathan, e eles logo se encantam um com o outro, encontrando-se com frequência. Nathan é amoroso, delicado, educado, íntegro, e oferece a Alix um acalanto, um ombro amigo. Não demora muito até que eles iniciem um romance.

“Às vezes, a verdade tem muitos disfarces e, para descobri-la, você precisa ter coragem para tirar as máscaras – E depois de uma pausa, ela conclui: -, inclusive a sua (…)”

Enquanto isso, no intuito de ajudar Alix a arrumar um emprego, Trixie e Zoé fazem uma super transformação na moça, mudando seu visual e enchendo-a de roupas caras de marca, sapatos luxuosos, maquiagens… Porém, todas as tentativas de ser aceita em algum lugar acabam falhando, mesmo que Alix não entenda o motivo.

É aí que surge uma oportunidade incrível: ela recebe um convite para participar da seleção de moças que trabalharão na mansão de Clif Forestier, um ator ricaço e muito famoso que mexe com um lado de Alix que ela desconhece: uma mistura de paixão e ódio, desejo e repulsa. O salário é milionário e o contrato garante muitas vantagens maravilhosas às moças que forem “sortudas” o suficiente para serem aprovadas nos testes. Sem pensar duas vezes – afinal, a necessidade falava mais alto -, Alix se submete aos exames.

À princípio, ela imaginava que se tratariam apenas de serviços domésticos. No entanto, os testes se tornam cada vez mais estranhos. Porém, isso não a impede de continuá-los e, por fim, ela se torna uma das selecionadas a assinar o contrato que a tornaria parte integrante da “Confraria de Ases“. O contrato? Bem, Alix não o leu direito, mas não se lembra de ter visto nada fora do comum… É aí que a trama realmente de desenrola, ou melhor, se enrola cada vez mais! Alix é lançada em um jogo cheio de mentiras, onde nada é o que parece ser, nem mesmo as pessoas próximas a ela.

“Como um prisioneiro poderia se apaixonar pelo seu algoz?”

É impossível largar o livro, porque, a cada página virada, você quer saber logo tudo sobre a Confraria e como Alix vai fazer pra sair dessa enrascada. Em meio a confusão que a vida dela se tornou, ela ainda tem que lidar com seus sentimentos contraditórios: por um lado, ela está encantada com Nathan, tão meigo e gentil, e, por outro, ela tem que controlar seus impulsos com relação à Clif, tão diferente de Nathan – rude, egoísta, cínico -, mas, ao mesmo tempo, capaz de despertar nela um desejo incontrolável.

Eu imaginei, à princípio, que, por ser um romance adulto, o sexo seria um tema super valorizado. No entanto, isso felizmente não acontece e tudo foi dosado com muito bom gosto. Uma coisa é certa: a trama é surpreendente, uma verdadeira partida de pôquer (ou xadrez, rs). Apesar do final ser exatamente como eu estava torcendo para ser, o desenrolar da história é cheio de surpresas e aconteceu muita coisa que me deixou com a boca aberta, de verdade! Me segurei MUITO pra não estragar nenhuma surpresa, viu? Porque a vontade é listar aqui todas as sacadas geniais da autora! São muitas reviravoltas, muitas cartas na manga!

amor em jogo anate merger.jpgLi o livro em formato e-book, enviado pela autora, portanto não é possível opinar sobre o aspecto físico, mas amei a capa. A primeira, no topo do post, é da versão física publicada pela Editora. Achei muito fofa e as cores vivas me atraíram bastante. O livro também foi publicado pela Amazon com a capa ao lado, ainda mais linda! A escrita é em terceira pessoa, mas achei super legal que, em alguns pontos, podemos ler os pensamentos de Alix em determinadas situações, onde podemos sentir um pouquinho do que ela estava passando, ao invés de ficar apenas na descrição da cena em si. Os capítulos, apesar de muitos, são bem curtos, e essa é outra vantagem gostosa na leitura do livro: as cenas são se alongam mais que o necessário e a quebra de um capítulo pra outro vem na hora certa e não torna a leitura cansativa.

Outra coisa que acho maravilhosa nos livros da Anaté é que, por ela ser uma autora franco-brasileira, há várias referências aos costumes, geografia e expressões francesas, todas bem explicadinhas em notas de rodapé. Isso agrega uma bagagem bem bacana ao leitor, afinal, leitura também é cultura! Enfim! É um livro muito gostoso de ler e recomendo fortemente a todos que adoram um bom romance, com bastante intriga e sensualidade! Só tenho elogios sobre ele!

NOTA: 4

Mas e então, curtiram o livro? Já leram? O que acharam? Se não leram ainda, leriam? O que mais chamou a atenção?

Beijos e até a próxima!

Continue acompanhando o blog nas redes sociais:

Instagram – Skoob – Twitter – Bloglovin’ – Canal Literamigas

Anúncios

Autor: Andresa Lee

30. Macapaense. Ama livros, jogos, doces, cães, Star Wars, conversas, nerdices e Netflix. Além de blogger literária no UDML, faz parte do canal Literamigas no Booktube.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s