Resenha: O Diário de Samantha, de Ana Monteiro

Oi, oi, pessoal!

Algum tempo atrás fui selecionada para participar do Book Tour do livro “O Diário de Samantha”, da autora nacional Ana Monteiro, publicado pelo selo Talentos da Literatura Brasileira pela Novo Século Editora (2015, 540 páginas), e hoje vim contar pra vocês um pouco sobre a minha experiência com a leitura!

O Diário de Samantha livro capa.jpg

Bem, a princípio, o livro me chamou atenção por ser uma história com vampiros, baseada no RPG “Vampire: The Masquerade“. Apesar de meu repertório com livros vampíricos não ser muito grande, gosto muito do tema e tive contato tanto com o jogo quanto com os livros do RPG na minha adolescência. Logo, queria ver como ficaria essa adaptação ao cenário local, uma vez que o livro é ambientado no Brasil.

Em linhas gerais, ele conta a história de Samantha Walker, líder da banda Nightwalkers, uma vampira que, com sua voz suave e melodiosa, torna-se em bem pouco tempo uma estrela do rock mundialmente famosa. Só o que ela não sabe era que sua fama repentina facilitaria a aproximação de Hadrian e sua corja, um antigo rival de Nicholas Lacroix, o vampiro que a transformou e com quem ela viveu um verdadeiro conto de fadas no passado, antes de conhecer Victor Hugo, seu amor humano.

Sentindo-se ameaçada e temendo pela vida de Victor Hugo, que ainda não sabe que ela é uma vampira, Samantha decide pôr fim à própria vida e se expõe ao sol. Porém, antes disso, ela resolve deixar este diário, no qual relata toda a sua vida e, principalmente, os motivos que a fizeram tomar essa drástica decisão.

Sinopse:

Antes de adentrar minha resenha, resolvi contar um pouco mais da história do livro pra vocês, com as minhas palavras. A leitura já inicia com uma certeza: Samantha está dando um fim à sua vida de vampira, expondo-se ao sol. No entanto, ela já foi humana um dia, e é a história de sua vida até aquele momento que ela coloca nas páginas de seu diário, na tentativa de salvar a vida de Victor Hugo, mesmo que isso exponha o mundo dos vampiros para os humanos.

Mas vamos voltar um pouco no tempo. Quando ainda era humana, Sam era uma boa filha, carinhosa e estudiosa. O falecimento de sua avó, algum tempo antes, havia deixado nela uma marca profunda. Mas a vó aparecia pra ela em sonhos, com frequência. Em um desses sonhos, ela diz que Sam deve enfrentar o que está por fim, que ela deve ser forte.

Um dia, junto com seus amigos Dudu, Fraldinha, Azeitona e Siri, Sam descobre que tem talento para cantar, enquanto os amigos são habilidosos com instrumentos musicais. Eles, então, resolvem criar uma banda de rock, a Nightwalkers, no estilo gótico/melódico a la Evanescence, e logo cativam o público local. A mãe dela, no entanto, não aprova nada esse hobbie da filha.

Certo dia, Sam recebe a terrível notícia que seus pais desapareceram num acidente de avião. Desolada e perdida, ela fica com vontade de perder a vida até que, ao se sentir tentada a adentrar um casarão abandonado por algum tipo de força que a atraia para lá, ela conhece Nicholas, um lindo vampiro. Ele, que já era apaixonado por ela há algum tempo, por sempre vigiá-la, tira dela toda a dor através do Abraço: a mordida no pescoço que finalmente transforma Sam em uma vampira também.

O livro é dividido em duas partes, que são intercaladas. Uma delas conta com mais detalhes a história da Sam humana e, logo após, como vampira recém-criada, a qual vive um romance intenso com Nicholas. Na segunda, que seriam os tempos atuais, Sam já é uma estrela e a banda Nigthwalkers é super famosa e conhecida no cenário nacional e internacional. Agora, ela tem um romance com Victor Hugo, um humano, e Nicholas, seu grande amor vampiro, está desaparecido.

Porém, uma grande ameaça que Sam não compreende fica à espreita a todo momento, e ela se sente na obrigação de proteger seus amigos e seu amor humanos para que nada de mal aconteça a eles. A saída? Acabar com sua própria vida.

O que achei:

Vou confessar que fiquei bastante impressionada com a escrita da autora. O livro é muito, muito bem escrito, sem erros de pontuação (que são meu verdadeiro terror) e concordância. Ele é bem detalhado e dá pra notar que a autora realmente “sabia” o que estava fazendo: cada passo dos personagens, cada detalhe das falas, gestos e atitudes é muito bem pensado, como se ela e nós, leitores, estivéssemos realmente vendo e vivendo aquilo. Existem muitas referências a lugares do Rio e programas de TV brasileiros, que dão um gostinho de verossimilhança ao leitor.

No entanto, acredito que aí também reside a fraqueza da história, ao menos ao meu ver. Por ser tão detalhado, demora bastante até que cheguemos ao clímax do livro. E, logo nas primeiras páginas, nós somos instigados a entender o que aconteceu para Samantha tomar a drástica decisão. Para isso, devemos percorrer as mais de 500 páginas, cheias de pormenores que muitas vezes não tem correlação com o enredo principal, o que causa uma certa frustração e desanima um pouco o leitor a continuar.

Os personagens são legais, singulares, bem construídos. Gostei muito deles, embora não tenha me apegado a nenhum em específico. Poucas coisas me incomodaram em Samantha, exceto sua indecisão pelos dois amores (que é passível de entendimento ao final do livro). Essa parte me remeteu bastante à “Vampire Diaries“, porém, aqui, se trata de um humano e um vampiro. Há uma explicação no livro para que um vampiro seja capaz de amar duas criaturas ao mesmo tempo e com a mesma intensidade, mas senti que Sam era muito mais apaixonada por Nicholas do que pelo próprio Victor Hugo, que foi justamente a causa de ela ter tomado a decisão de tirar sua vida. Gostaria de ter visto mais do relacionamento dela com o humano, pois não consegui captar a química entre eles da mesma forma que ela tinha com Nicholas…

Pode parecer um pouco confuso no início porque o livro vai e volta no tempo: enquanto ela narra os acontecimentos do passado, o presente continua rolando e é preciso ficar atento para não perder nenhum detalhe e confundir os períodos.

Pra quem gosta de música, em especial o estilo mais pesado do rock, é uma leitura super recomendada: existem diversas citações a bandas (que eu especialmente gosto), além de o livro ser recheado com as letras das músicas da própria Nightwalkers (em inglês, com legenda)! Como disse, a autora tem pleno domínio do universo que criou, e isso é inegável.

A narração é em primeira pessoa, na visão de Samantha. Os capítulos tem um tamanho normal, e os títulos de cada um são bem grandes, já dando a entender o que vai acontecer ao longo deles.

Existem uma grande influência de outros universos vampíricos aos quais já estamos acostumados. “A Rainha dos Condenados” e até “Crepúsculo” são alguns deles. Mas existem lá suas particularidades, como os vampiros chorarem lágrimas de sangue, as sociedades de vampiros existentes em cada canto do mundo, a relação entre vampiros e humanos e o ato sexual dos vampiros (uma mistura erótica e masoquista que ficou interessante). O livro, aliás, tem um grande apelo sexual, mas, apesar de frequente no enredo, as cenas hot não são de mau gosto nem vulgares.

O livro não é ruim, mas alguns trechos me incomodaram, como, por exemplo: o amor repentino entre Samantha e Nicholas, pois achei meio estranho ela ter se envolvido tão rápido, inclusive sexualmente, no dia da morte dos pais; a falta de resistência dela ao Abraço (é uma decisão bem importante se tornar imortal!); o excesso de detalhes, que não tornaram a leitura fluida; o grande clímax do livro, que seria a aparição dos inimigos, ter sido tão rápido a ponto de o leitor ficar frustrado por ter atravessado tantas páginas para chegar até ali e ver a cena acabar tão rápido.

Esses pontos acabaram deixando minha leitura um pouco lenta e confesso que não me cativou tanto quanto eu gostaria, talvez por não ser “a minha praia” – até porque a nota do livro no Skoob é relativamente alta (3,8), o que significa que fui uma exceção. O livro não tem muita ação e, quando ela aparece, é modesta (mas foi uma das partes que mais gostei e que realmente me prenderam). O final deixa uma grande interrogação no ar e temos uma suposição de que vem mais um livro por aí!

Com relação à edição, não podia ser mais bonita. Gostei bastante da capa, pois acho que fez jus ao estilo. As páginas são amareladas e grossas e a fonte tem tamanho e formato muito bons. Não encontrei erros na revisão (exceto em uma mísera palavrinha), o que considero super positivo. Fiquei bem ansiosa pra conhecer outros trabalhos da Editora!

NOTA: 2

Compre o livro na Amazon: Físico / E-book

Gostaria de agradecer a Brenna Damaceno, do blog My Secret World, que organizou o Book Tour, e a autora Ana Monteiro, por ter me dado a oportunidade de conhecer seu trabalho! ❤

Mas então, já leram ou ficaram interessados pelo livro? Gostam de histórias de vampiros? Me contem aí nos comentários! 😉

Beijos e até a próxima!

Continue acompanhando o blog nas redes sociais:

Instagram – Skoob – Twitter – Bloglovin’ – Canal Literamigas

Comprando pelos links da Amazon vocês ajudam o blog a crescer cada vez mais com uma pequena comissão, sem pagar nada a mais por isso!
Anúncios

Autor: Andresa Lee

30. Macapaense. Ama livros, jogos, doces, cães, Star Wars, conversas, nerdices e Netflix. Além de blogger literária no UDML, faz parte do canal Literamigas no Booktube.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s