Resenha: O Despertar, de L. J. Smith

“Ele ouvira cada respiração suave que ela dera, sentira seu calor irradiando nas costas dele, sentira cada batida de sua doce pulsação. E por fim, para seu pavor, Stefan se descobrira penetrando nisso. Sua língua roçava os caninos de um lado a outro, desfrutando da dor e do prazer que se formava ali, estimulando-o. Ele inalou deliberadamente o aroma dela para as narinas e deixou que as visões o invadissem, imaginando tudo. Como seu pescoço seria macio, como os lábios teriam a mesma suavidade no início, plantando minúsculos beijos aqui e ali, até que ele chegasse à cavidade dócil de seu pescoço.”

Oi, pessoal!

Sempre tive curiosidade de ler a série “Diários do Vampiro” e acabei ganhando no meu aniversário em 2012, mas demorei um tempão pra começar a ler por sempre atropelar minha fila de leituras. Eles deram origem a série de TV de mesmo nome (“Vampire Diaries“), que nunca assisti completamente, mas já cheguei a ver alguns trechos e confesso que não gostei muito. Como nunca confio plenamente em adaptações, precisava ler os livros para saber se a história era realmente boa ou não.

Muitas pessoas não me recomendaram a leitura, mas prefiro sempre dar uma chance e tirar minhas próprias conclusões sobre as coisas. Talvez pela constante comparação com a franquia “Crepúsculo”, “Diários do Vampiro” pode ter sido alvo de preconceito.

o despertar vampire diariesO primeiro livro da saga chama-se “O Despertar“, de L. J. Smith (Editora Galera Record, 2011, 236 páginas). Já comecei a gostar pela capa, lindíssima, com esse rosto masculino pela metade, envolto em sombras.

No início desse volume, conhecemos Elena, que retorna da França para a cidade de Fell’s Church. Depois que seus pais faleceram, ela passou a morar com a tia e a irmã mais nova. Elena tem duas melhores amigas, Bonnie e Meredith, e as três são inseparáveis. Ela conta, ainda, com a amizade de Matt, que é completamente apaixonado por ela.

Elena é a típica garota popular da escola. Dona de uma beleza estonteante, com seus cabelos loiros, pele alva e corpo esguio, ela consegue tudo o que quer. Os garotos da escola são loucos para tê-la e as meninas fazem de tudo para agradá-la, seguindo-a como uma líder. Acostumada com toda essa atenção, Elena dificilmente é colocada de lado, exceto pela ex-amiga Caroline, com quem agora ela tem um desafeto. Ainda assim, Elena se sente só, como se algo nela estivesse faltando.

Um dia, a escola recebe um novo aluno, o misterioso Stefan Salvatore. Logo todas as meninas começam a cobiça-lo, inclusive Elena, que traça diversos planos para se aproximar do garoto. Porém, todas as investidas dela fracassam, e ela se vê em uma posição que jamais esteve antes: foi completamente esnobada por um garoto. Ainda assim, não desiste de conquistá-lo e, com ajuda das amigas e de Matt, tenta a todo custo ter Stefan para si.

Com a aproximação do baile da escola, Elena põe seu melhor plano em ação. Porém, Caroline consegue estragá-lo e a menina, revoltada, parte do baile em companhia de um dos garotos asquerosos da escola, Tyler. Depois de ter bebido bastante na festa, Tyler tenta forçar Elena a ficar com ele. Enquanto tenta se desvencilhar dos braços do garoto, Stefan aparece para salvá-la.

A partir daí, os dois iniciam um romance bastante intenso, na medida em que Stefan revela a ela fatos sobre sua vida e sua verdadeira identidade. Na verdade, Elena o lembra de um amor do passado bastante distante: ela é extremamente parecida com Katherine, a mulher que ele amou no século XV em Florença, na Itália, e que formava, junto com Damon, o sexy e misterioso irmão de Stefan, um complicado e mortal triângulo amoroso.

“Era como se Elena sempre estivesse procurando… alguma coisa. Só que quando ela pensava ter conseguido, não era aquilo. Não foi com Matt, nem com nenhum dos meninos que teve. E depois tinha de começar tudo de novo. Felizmente, sempre havia material novo. Nenhum menino até agora resistira a ela, e nenhum menino a ignorara. Até agora.”

O que achei:

Para ser sincera, em nenhum momento consegui comparar o casal protagonista com Bella e Edward. “Diários do Vampiro” definitivamente tem um contexto bem mais sombrio, com direito a mortes, aparições, presságios e situações completamente inesperadas.

Além disso, os personagens estão longe de ter aquela personalidade com as quais estamos acostumados a encontrar em outros romances, de perfeitos, frágeis ou indefesos. A própria Elena não é nada ingênua. Pelo contrário: ela é extremamente manipuladora, egoísta e vaidosa, valendo-se da sua aparência para conseguir o que bem deseja. Todos eles têm estilos muito bem definidos e a forma como os sentimentos deles são descritos é muito interessante, como se nós realmente pudéssemos estar no lugar deles naquele momento.

“Stefan encostou-se na janela, a testa comprimida em sua frieza. Seu preceptor tinha outro ditado: o mal nunca encontrará a paz. Pode triunfar, mas jamais encontrará a paz.”

A história não demora a engrenar e não deixa nenhuma ponta solta ou sem explicação, o que achei legal para um primeiro volume, pois mantém um ritmo compassado e constante. Em alguns trechos, dá até para fazer um flashback e ir direto a Renascença. Em outros, as páginas do diário de Elena nos fazem simpatizar com ela, apesar do gênio, porque sabemos como ela se sente de fato por debaixo da máscara de vaidade.

Outra coisa que achei interessante foi a forma como os dois se apaixonaram. Embora tudo aconteça rápido demais, a forma como os acontecimentos os unem é tão intensa que é impossível não acreditar que eles foram feitos para ficar juntos. A cada novo diálogo, a intimidade e a confiança entre eles aumenta, e o leitor percebe isso com facilidade.

Em resumo, gostei do livro e os personagens me cativaram, embora não de um jeito tão intenso quanto outros, de outras leituras, pois não consegui criar laços fortes com nenhuma deles. Ainda assim, recomendo! Já fiz a leitura do segundo volume e em breve compartilho com vocês.

Reproduzo abaixo outros trechos que achei bonitos, para dar a vocês um gostinho do livro:

  • “O bolo em sua garganta voltou, mas as lágrimas ainda não saíram. Tudo dentro dela era contraditório. Ela não queria companhia, e no entanto sentia-se dolorosamente só. Ela queria pensar, mas agora que tentava, seus pensamentos lhe escapavam como camundongos fugindo de uma coruja branca”;
  • “- Ah… Se eu soubesse o que vai acontecer – disse ela rapidamente, fechando o diário. – Quer dizer, se eu soubesse que um dia vamos terminar, acho que eu simplesmente acabaria com isso. E se eu soubesse que tudo ia ficar bem no final, não me importaria em nada com o que acontecesse agora. Mas é horrível passar um dia depois do outro sem ter certeza de nada”;
  • “Era como se eles estivessem afugentando aos beijos todo o medo, desolação e solidão dentro deles. Elena sentiu a paixão atravessá-la como um raio numa tempestade de verão, e podia sentir a reação apaixonada em Stefan. Mas infundindo todo o resto havia uma gentileza quase assustadora nesta intensidade”.

NOTA: 3

A escrita é muito bonita, não é? 🙂 Vocês já leram? O que acharam?

Beijos e até a próxima!

Continue acompanhando o blog nas redes sociais:

Instagram – Skoob – Twitter – Bloglovin’ – Canal Literamigas

Anúncios

Autor: Andresa Lee

30. Macapaense. Ama livros, jogos, doces, cães, Star Wars, conversas, nerdices e Netflix. Além de blogger literária no UDML, faz parte do canal Literamigas no Booktube.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s