Resenha: A Casa de Vidro, de Anna Fagundes Martino

“Eleanor estranhou, de qualquer forma, que alguém fosse vê-la. As visitas, quando vinham, era para o filho, nunca para a dona da casa: quando o marido morrera, também ela deixara de existir diante dos olhos do mundo.”

Oi, oi, gente!

A CASA DE VIDRO CAPA LIVROHoje vim apresentar pra vocês minha sexta leitura de 2019: “A Casa de Vidro“, de Anna Fagundes Martino, publicado pela Editora Dame Blanche (2016, 81 páginas). Eu estava procurando uma leitura rápida e leve e a capa me chamou a atenção por ser belíssima!

Ele conta a história de Eleanor, uma bela moça da alta sociedade que não consegue entender o misterioso jardineiro contratado para cuidar da estufa em sua casa. Com o tempo e os cuidados que ele dispensa a estufa, transforma o lugar em uma floresta imaginária, praticamente encantada.

Sebastian é o nome do tal estranho, que parece um homem como qualquer outro, porém ele não deixa de intrigar Eleanor pelo seu comportamento peculiar, por não seguir as regras sociais, fazer perguntas desconcertantes e pelo fato de que as plantas obedecem seus comandos de maneira muito peculiar diferente de tudo que ela já viu.

“- É que você é curiosa. Eu vejo isso nos seus olhos. Eu te disse como eu vejo o modo que vocês fazem. E dá para ouvir a pergunta dentro da sua cabeça como se você tivesse falado alto. Mas não pergunta, não se atreve… A barreira do seu gênero de novo. Não podem falar, não podem perguntar, não podem coisa nenhuma. Depois ficam com aquela cara de horror quando acontece.”

O que achei:

O livro na verdade é uma noveleta que faz parte da série chamada “As Estações“. Por ser curto, não há como comentar muito sobre a trama, ou se corre o risco de entregar toda a história.

Justamente por ser curto, a narrativa é bem rápida e bastante superficial, principalmente nos diálogos. Não consegui me apegar a nenhum personagem, pois suas personalidade não são bem exploradas e seus laços não me convenceram, parecendo um pouco vagos.

“Do alto de seus dezessete anos, Eleanor tivera medo do futuro que lhe fora apresentado de maneira tão explícita. E medo de desejá-lo na mesma medida de seu pânico, de querer saber como era permanecer dentro daquele abraço, de como seria deixar que aquele calor lhe consumisse até não restar nem mesmo cinzas.”

A trama envolve passado e presente enquanto tentamos montar um quebra-cabeça da juventude e da fase adulta de Eleanor, seu envolvimento com Sebastian e o fruto dessa relação.

O enredo tem um quê de sobrenatural, porém não existem explicações para esses fatores, o que acaba tornando nosso entendimento meio confuso. A existência de um Deus também é constantemente refutada na leitura. Não sei se isso é um reflexo do posicionamento da autora, mas ficou bastante evidente – e não consegui captar se a existência ou não dessa crença é importante para a trama se desenvolver.

“- Falo porque humanos são cheios de promessas e declarações, e raramente as cumprem. Amor não é algo que exista por decreto. Nem mesmo entre gente da mesma matriz.”

Pra encerrar, o livro é gostoso de ler, pois adoro referências botânicas – e aqui temos aos montes, pois grande parte da história se passa na estufa de Sebastian. Mas, reforçando o que já disse, por ser uma noveleta, não se aprofunda muito em detalhes e deixa algumas pontas soltas – que, quem sabe, podem ser respondidas nos próximos volumes da série.

Ainda assim, recomendo pra quem procura uma proposta diferente e leve para o passar o tempo e fugir da ressaca literária. Ainda não conhecia o trabalho da Editora e fiquei bastante curiosa sobre os outros volumes, principalmente pelas capas maravilhosas! ❤

“‘Convencido e tolo’, pensou. Como o pai antes dele. Como todos os homens… como todos os humanos. E ela o amava apesar disso.”;

NOTA: 2

Vocês já tinham ouvido falar dessa série? Já conheciam o trabalho da autora?

Um grande beijo a todos e até a próxima!

Continue acompanhando o blog nas redes sociais:

Instagram – Skoob – Twitter – Bloglovin’ – Canal Literamigas

Anúncios

Autor: Andresa Lee

30. Macapaense. Ama livros, jogos, doces, cães, Star Wars, conversas, nerdices e Netflix. Além de blogger literária no UDML, faz parte do canal Literamigas no Booktube.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s