Resenha: Mais Que Amigos, de Lauren Layne

“Não sei pelo que agradeço. Se pelo fato de não estar chorando, de ser tão linda ou por ter aberto a porta pra mim. Não quero que nunca feche a porta para mim.”

Oi, pessoal!

E vamos pra mais uma leitura de 2019!

MAIS QUE AMIGOSMeu 11º livro lido foi “Mais Que Amigos“, da Lauren Layne, publicado pela Editora Paralela (2018, 224 páginas). Eu o adquiri em uma troca no Skoob e ele entrou pra minha lista de desejados depois que uma amiga recomendou horrores por ter se apaixonado pela história.

Ele conta a história da jovem Parker Blanton que, aos 22 anos, leva a vida que sempre sonhou: ela tem um namorado inteligente e responsável, um emprego promissor e a companhia de seu melhor amigo, Ben Olsen, com quem divide um apartamento. Parker e Ben são tão grudados que muita gente duvida que eles morem sob o mesmo teto sem nunca ter vivido um caso, mas eles não se importam com o que as pessoas pensam. Sabem que não foram feitos um para o outro – pelo menos não para se envolver amorosamente falando.

Por isso, quando um acontecimento inesperado faz com que Parker se veja sem namorado e com o coração partido, ela sabe que pode contar com Ben para ajudá-la a sacudir a poeira e partir para outra. Afinal, ninguém seria mais ideal do que seu melhor amigo para lhe mostrar os prazeres da vida de solteiro. Ou menos era assim que eles pensavam!

“Poucas coisas são melhores do que ficar encolhidinha debaixo das cobertas com um bom livro enquanto chove forte lá fora, ou então assar marshmallows na lareira. Além de montar quebra-cabeças, claro.”

O que achei:

Pelo título e pela sinopse, vocês já sabem que se trata de um romance clichê, entre o cara “galinha”, que fica com todo mundo, e a moça certinha que não se envolve com qualquer um. E, sim, vocês estão certos! Demorei pra engatar na leitura porque achei a Parker bem irritante no início e a constante negação de sentimentos, embora fosse de se esperar, acaba ficando cansativa.

Parker e Ben possuem uma conexão como nenhuma outra e, quando ela se vê solteira e querendo uma relação casual, não é capaz de ir pra cama com qualquer cara. Afinal, para ela, sexo tem que ter conexão e intimidade. Então, surge a ideia de propor a Ben que eles entrem nessa amizade colorida, “apenas” para saciar esse desejo. Mas é claro que a amizade não permanece intacta depois que os dois compartilham esses momentos mais quentes.

“Garotos e garotas não conseguem ser só amigos. Ou pelo menos não melhores amigos.”

Eu realmente acredito que amizade entre homens e mulheres é, sim, possível (embora o próprio livro me induza a pensar o contrário), mas existiram algumas coisas no enredo do livro que eu, sinceramente, não achei que fizeram sentido, como o fato da Parker querer ter um relacionamento mais maduro com o namorado, com quem está junto há ANOS, mas preferir morar com o melhor amigo, sendo que a vida que ele leva, na típica badalação dos solteiros, não combina em absoluto com ela. Os diálogos para “provar” que eles eram íntimos também parecem bem forçados, como discussões sobre toalhas de banho, por exemplo.

“‘Química é como todo o resto na vida. Quanto mais você procura, mais difícil fica encontrar.'”

A escrita é simples e é possível se identificar com os personagens em alguns de seus comportamentos. Por trás da trama comum, existem alguns conflitos bem legais, como o fato de Ben não corresponder às expectativas dos pais por escolher seu próprio futuro, a mãe de Parker passar por uma batalha contra uma doença bem complicada e até mesmo a questão de encontrar sua outra metade em alguém e o quanto isso pode melhorar seus dias até nos momentos mais difíceis.

A medida que o sentimento do casal se desenvolve, lá pela página 100, foi quando comecei a me empolgar com uns trechos bem gostosos de ler. Não há muito que se comentar, pois é uma daquelas histórias onde não há nada de novo sob o sol. É um livro bem fofinho e que cumpre o que promete, mas que vale mais a pena pra quem estiver no clima de ler um romancinho sem altas complexidades mesmo.

“‘Bom, essa é a maravilha de ser adulto, Parks. É a gente que decide o que vai ser complicado e o que vai ser puro, simples e divertido.'”

NOTA: 3

E vocês, já conheciam o livro? Gostaram? Faz o estilo de vocês?

Um grande beijo a todos e até a próxima!

Continue acompanhando o blog nas redes sociais:

Instagram – Skoob – Twitter – Bloglovin’ – Canal Literamigas

Anúncios

Autor: Andresa Lee

30. Macapaense. Ama livros, jogos, doces, cães, Star Wars, conversas, nerdices e Netflix. Além de blogger literária no UDML, faz parte do canal Literamigas no Booktube.

2 thoughts

    1. Oie, Larissa! Tudo bem?
      Então, uma amiga me indiciou e amou demais esse livro, então talvez eu tenha ficado com muita expectativa e não era bem isso, sabe? Mas pode ser que você goste!
      Se curte clichês e romances, eu digo que vale a pena! Cada leitor tem uma experiência diferente ❤
      Me diz se vc ler e gostar!
      Bjinhos e mto obrigada pela visita!

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s